quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Jornal Caldeirão - Agricultoras e agricultores protestam contra o Golpe

Que fique marcado na história brasileira: no ano de 2016, os agricultores e agricultoras que fazem parte do Fórum Cearense Pela Vida no Semiárido foram contra o golpe político que se processou no País. Nas ruas, foram várias as manifestações de indignação pelo jogo político que envergonhou nossa democracia e tirou da presidência a governante eleita em 2014. Nesta edição do Jornal Caldeirão, são mostradas as contradições do Governo de Michel Temer que, tão logo assumiu a presidência, anunciou cortes nos programas sociais que apoiam a agricultura familiar. Também é analisado o comportamento da imprensa nacional em sua cobertura tendenciosa dos acontecimentos e na pressão midiática pelo impeachment. Leia O Caldeirão, publicação do Fórum Cearense Pela Vida no Semiárido

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Instituições do FCVSA debatem a mudança de estatuto da AP1MC

Nos dias 17 e 18 de agosto, representantes das instituições que fazem parte do Fórum Cearense pela Vida no Semiárido (FCVSA) se reuniram e debateram sobre a atualização do estatuto da Associação Programa Um Milhão de Cisternas para o Semiárido (AP1MC). A reunião ocorreu na sede do Esplar – Centro de Pesquisa e Assessoria.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Agricultores/as debatem o uso de agrotóxico durante encontro do Fórum Microrregional Fortaleza

Representantes dos municípios de Aracoiaba, Barreira, Baturité, Canindé, Chorozinho, Caucaia, Pacajus, Paramoti e Ocara se reuniram na manhã do dia 12 de julho para mais uma edição da Reunião Ordinária do Fórum Microrregional Fortaleza de Convivência com o Semiárido, realizado na sede do Esplar. Durante o encontro foram debatidos temas como: as ações adotadas nos municípios para combater o quinto ano consecutivo de seca e os males do uso do agrotóxico.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Chuva de veneno não! Seminário discute, em Fortaleza, os impactos negativos do uso de agrotóxicos

“O nosso sangue já é todo de veneno”. A agricultora Socorro Guimarães, da comunidade do Tomé, em Limoeiro do Norte (CE), lembrou, durante o Seminário Agrotóxicos e Saúde, a resposta de um jovem agricultor da região da Chapada do Apodi, no Ceará, quando foi questionado por uma pesquisadora se ele não tinha medo de ficar próximo aos materiais utilizados para dispensar agrotóxicos nas plantações. A Chapada do Apodi, no Ceará, é uma das regiões do estado onde a pulverização aérea ainda é prática recorrente nas plantações do agronegócio. Na quarta-feira, 11 de maio, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará recebeu agricultoras e agricultores, pesquisadores/as, médicos/as, movimentos sociais e deputados/as para debater sobre os impactos negativos causados pelos agrotóxicos na saúde humana, animal e no meio ambiente. A atividade foi realizada pela Assembleia Legislativa do Ceará, o mandato É Tempo de Resistência/Deputado Renato Roseno (PSOL), Movimento 21, Fórum Cearense Pela Vida no Semiárido (FCVSA) e Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra (MST).